O Google Ads tem fome de seus cliques e boa parte dos ganhos da empresa vem através deles. Por isso o trabalho no maior site de pesquisas do mundo é ininterrupto. A empresa com sede nos Estados Unidos está sempre pensando em como inovar e aumentar a sua rentabilidade com publicidade, cliques, visualizações, alcance, etc. Um fenômeno tem sido pauta de discussões acaloradas entre as empresas que trabalham tem o Google como parceiros. É o fenômeno 0 CLIQUES, mais da metade de todas as consultas de sua pesquisa agora resultam em zero cliques. Sem abrir site algum e sem precisar dar clique você consegue ter a informação desejada e assim encerrar sua pesquisa.

Em junho de 2019, 50,3% das pesquisas no Google receberam zero cliques (inclusive as pesquisas em que apareciam resultados pagos). Por outro lado, as pesquisas com cliques orgânicos em sites que não pertencem ao Google agora representam apenas 45% de todo o tráfego.

Pesquisamos mais fundo sobre o assunto e encontramos um estudo da empresa americana Jumpshot baseada em 40 milhões de pesquisas em navegadores de computadores e dispositivos móveis nos Estados Unidos. Os dados foram analisados ​​por Rand Fishkin, fundador do mecanismo de busca de inteligência de audiência SparkToro.
Dá só uma olhada:

Zero Cliques – Pesquisa

Crédito: Rand Fishkin / SparkToro

Pior ainda, parece que essa tendência para pesquisas com clique zero registrou um crescimento constante desde 2016. Enquanto isso, o alcance orgânico de sites de terceiros continua diminuindo.

Para ser justo, não é de se surpreender que um grande número de pesquisas resulte em zero cliques – especialmente quando consideramos que o Google Ads está voltando sua atenção para resumir os resultados em snippets na parte superior da Pesquisa, ou seja, a resposta ao que se procura aparece sem que você precise clicar em nenhum site. Embora possa ser mais fácil procurar usuários, eles podem consumir o tráfego de sites de terceiros.

No entanto, como observa Fishkin, um painel do congresso nos EUA perguntou recentemente ao Google se era verdade que menos de 50% das pesquisas levam a sites que não pertencem ao Google. Era uma pergunta simples de Sim ou Não, mas o Grande G evitou dar uma resposta direta. Em vez disso, analisou a autenticidade dos dados citados – sem negar.

“O autor do relatório citado em nossa carta não deixou clara sua metodologia específica, mas é impreciso retratar os trechos em destaque como simplesmente respondendo a uma pergunta e nunca resultando em um clique”, escreveu a empresa em comunicado.”Muitos sites se esforçam para destacar seu conteúdo como um trecho, o que pode gerar tráfego um significativo”.

Curiosamente, Fishkin observa ainda que o domínio de busca do Google alcançou uma participação de mercado de 94% (os dados são baseados apenas em pesquisas baseadas em navegador).

Crédito: Rand Fishkin / SparkToro

Não foi o primeiro experimento

Vale lembrar que este não é um desenvolvimento totalmente novo. Em junho, o Search Engine Land citou pesquisas anteriores e parecidas com as pesquisas da Fishkin que sugeriam que o número de pesquisas com clique zero no primeiro trimestre de 2019 havia atingido quase 49% de todas as consultas.

Ainda assim, a agência observou que a metodologia do Fishkin não era exatamente à prova de balas e inerrante.

“Os números são baseados em mais de um bilhão de pesquisas em navegadores da Web e em dez milhões de computadores domésticos e dispositivos Android dos Estados Unidos”, escreveu o Search Engine Land. “Ele não inclui pesquisas realizadas em dispositivos iOS, o aplicativo de Pesquisa do Google, dispositivos somente de voz ou pesquisas que terminaram em um clique em um aplicativo para celulares”.

A descoberta reacende discussões sobre a conduta anticompetitiva do Google, que muitos criticaram no passado. Por outro lado diz muito sobre a missão e valores da empresa. Deixam claro que o objetivo do Google é responder dúvidas e gerar trafego para quem se propõe a criar bons conteúdos.

E Agora? Google Ads ou Marketing de Conteúdo?

Dúvida entre Google Ads ou Marketing de Conteúdo

Nossa resposta é clara e objetiva: FAÇA OS DOIS O QUANTO ANTES. As duas ações são essenciais pra gerar resultado. Além disso, uma estratégia aliada a outra tende a gerar grandes resultados.

Ao criar campanhas de Google Ads você potencializa os seus resultados, o usuário vai ter certeza que você é a empresa certa a iniciar um contato ao acessar seu site e entender que você gera conteúdo relevante, inteligente e relacionado ao seu negócio. Enquanto isso você potencializa seus resultados e sua audiência com o conteúdo gerado.

E você? Já pensou fora da caixa para reverter essa situação e alcançar bons resultados? Nós já, e uma das estratégias é o Marketing de Conteúdo. Mas queremos ressaltar, NÃO DEIXE DE INVESTIR EM GOOGLE ADS. Quanto antes você começar o seu Marketing de Conteúdo melhor, e pra te incentivar a começar agora, veja bons 5 motivos:

  • Aumentar a interação com a sua marca;
  • Nutrir sua base de leads com conteúdo personalizado e relevante;
  • Reduzir o custo de aquisição de clientes (CAC);
  • Ganhar confiança do público e adquirir propagadores da sua marca;
  • Melhorar a experiência pós venda e fidelização de clientes.

Falamos um pouco mais sobre os 5 bons motivos de você iniciar o seu Marketing de Conteúdo em um outro artigo do nosso blog, clique no link abaixo e continue lendo sobre estratégias de Marketing Digital:

Gostou do artigo? Deixe seus comentários. Até a próxima!


Gutemberg Fernandes
Gutemberg Fernandes

CEO Founder da Conexão Marketing, 12 Anos de experiência em Estratégias Digitais, co-autor do método Growth CNX, apaixonado por métricas e geração de resultados. Líder do time de prospecção inbound.

Conexão Agência Digital

    1 Comentário para "Você sabia que quase 60% das pesquisas do Google Ads geram zero cliques? E agora"

    • […] No ano de 2019 passamos por um fenômeno denominado 0 clique no Google. As pesquisas mostram que quase 60% das pesquisas no Google geram 0 clique. As empresas especializadas em marketing digital já sabem como contornar esse fenômeno e continuar gerando resultados, enquanto alguém que tem outras funções no seu dia a dia levaria um tempo muito maior pra entender esse fenômeno e talvez ainda mais para contorna-lo. Você pode descobrir um pouco melhor sobre esse fenômeno clicando aqui. […]

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado