comportamento do consumidor online

Comportamento do consumidor online.

O consumidor atual tem um comportamento totalmente diferente do consumidor dos anos 80 e 90 por exemplo. O comportamento do consumidor “antigo” em relação ao consumismo era passivo. Ele se colocava à frente da TV e esperava que as ofertas chegassem até ele.

Nos dias de hoje o consumidor está em toda parte. Segundo uma pesquisa realizada pela IAB (Interactive Advertising Bureau), a audiência da internet no Brasil já é maior que da TV. 

A mudança de comportamento do consumidor brasileiro pegou de surpresa muitas grandes empresas que custaram a se reposicionar e conquistar este novo consumidor.

O horário nobre da TV que antes era perseguido pela maioria das empresas para realização de publicidade hoje já não causa tanto impacto assim. Porém muitas delas ainda não se atentaram para esta nova realidade e insistem em práticas antigas de marketing para conquistar clientes.

O consumidor online percebeu uma coisa: Ele tem o poder! As empresas não conseguem mais manipulá-lo em massa como antes. Agora ELE tem a informação. ELE tem o poder de decisão dispondo de ferramentas de buscas poderosas e que possibilitam a localização de estabelecimentos comerciais próximos ao local onde estão naquele momento. Costumo dizer que hoje em dia a empresa que vende tempo está a frente de seus concorrentes. Ser facilmente encontrada no Google é vender tempo. O consumidor não quer mais “perder” seu tempo em uma compra. Ele busca praticidade. Os dias estão corridos para todos e quem consegue vender tempo, sai na frente.

Pegue o exemplo do Mc Donald´s. Você acha que eles vendem sanduíches? Engano. Eles vendem tempo, agilidade, praticidade. Em menos de 15, 20 minutos você entra, compra, come e vai embora.

O tempo passou a ser moeda valiosa nos dias de hoje, afinal você não consegue mensurar quanto custa seu tempo não é mesmo? É muito valioso. O tempo do consumidor não seria diferente.

Diante deste novo cenário o horário nobre passou a ser o horário do consumidor. Assim, ter presença digital passou a ser imprescindível para as empresas. No começo dos anos 2000, Bill Gates alertou:“Daqui a alguns anos existirão dois tipos de empresa, as que fazem negócio pela internet e as estarão fora dos negócios”. Portanto, se sua empresa ainda não tiver presença digital a tendência é que seja atropelada por seus concorrentes.

Lidar com este novo consumidor ainda é desafiador entretanto, se sua empresa souber o “caminho das pedras” a tendência é que seus resultados sejam cada vez melhores.

Muitas empresas se lançam na internet sem um preparo inicial e montam suas estratégias baseadas em sua experiência na grande rede. Repare: Quando você abre seu e-mail e se depara com milhares de ofertas de empresas que nunca ouviu falar, como se sente? Aquilo vai enchendo sua caixa de entrada sem você sequer ter autorizado o envio. Chato isto não é? Ocupa espaço de armazenamento, toma seu tempo em excluir as mensagens, enfim, um transtorno. Agora pense: Por que você faria a mesma coisa com as pessoas para tentar vender seu produto ou serviço?

E é isso que acontece em muitos casos. Muitos acreditam ser esta a forma de trabalhar com internet, “buzinando nos ouvidos” das pessoas suas ofertas e produtos, agindo como se a internet fosse uma feira.

O consumidor online detesta essa prática, você também, tenho certeza disto. Então aqui cabe a velha máxima, não faça com os outros o que não gostaria que fizessem a você. É assim que funciona! Exatamente assim.

As pessoas buscam cada vez mais na internet um ativo valiosíssimo: INFORMAÇÃO. O cliente bem informado compra. Portanto, se você pretende vender seu produto, procure elencar o máximo de informações sobre ele. Procure derrubar as dúvidas que seu público tem sobre seu produto com informação.

Por exemplo, se seu público-alvo valoriza a durabilidade, diga que seu produto resiste a quedas, a altas temperaturas, que pode ser exposto ao sol, enfim, aborde o lado HUMANO do cotidiano do cliente, e não que seu produto é feito disto ou daquilo, percebeu? O consumidor não quer saber de repente se o produto é feito de aço ou de ferro ou de plástico, ele quer simplesmente que o produto tenha longa durabilidade e em que situações ele pode usá-lo em seu dia a dia. Para tanto você deve informá-lo sobre seu produto criando este ponto de conexão com seu cliente e explorando esta situação ao máximo. Isto foi apenas um exemplo para ilustrar.

É preciso mostrar ao consumidor e para seu público em especial que você entende o que ele precisa. Veja mais alguns exemplos:

  • Peso do produto 100g – Explore isso com palavras como “mobilidade”, “comodidade”, “ não pesa na bolsa”

  • Tamanho do produto 10cm – Explore expressões como “cabe no seu bolso” ou ainda “leve para qualquer lugar”

São estes pontos de conexão que devem ser criados para atrair o consumidor online.

O que achou deste artigo? Deixe seu comentário abaixo, gostaríamos de saber sua opinião a respeito.

Comportamento do consumidor online

comportamento do consumidor online

Você já sabe o que são as métricas piratas? Descubra clicando aqui.


Gutemberg Fernandes
Gutemberg Fernandes

CEO Founder da Conexão Marketing, 12 Anos de experiência em Estratégias Digitais, co-autor do método Growth CNX, apaixonado por métricas e geração de resultados. Líder do time de prospecção inbound.

Conexão Agência Digital

    7 Comentários para "Comportamento do consumidor online"

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado