5 erros em messaging marketing que você não pode cometer

5 erros em messaging marketing que você não pode cometer

O messaging marketing é uma tendência forte da atualidade porque usa os aplicativos de mensagens como canais de comunicação direta com os clientes. Por conta dessa característica, é um meio que exige extremo cuidado da sua parte para não errar na abordagem e, consequentemente, perder a confiança das pessoas.

Como ocorre em qualquer outro canal de marketing, você precisa estudar muito bem o perfil do seu público-alvo e adotar uma estratégia capaz de impactá-lo. Um único deslize pode ser decisivo para perder o direito de se comunicar de forma tão direta com ele, então todo cuidado é pouco ao trabalhar com esse método.

Contando com um bom planejamento e abordagem que condiz com as expectativas da audiência, você poderá aproveitar todos os benefícios do messaging marketing para a sua marca. O segredo está em passar longe daquelas que são consideradas as falhas mais comuns desse trabalho, algo que será decisivo para você sempre atuar estrategicamente.

Confira a seguir os 5 erros em messaging marketing que você não pode cometer:

1. Não pedir permissão

O messaging marketing utiliza meios como Facebook Messenger, WhatsApp e Telegram para interagir com seu público. Como são aplicativos muito pessoais, nenhuma marca pode começar a falar com alguém sem a devida permissão.

É a sua audiência quem precisa autorizar os envios, senão você arrisca ter sua comunicação classificada como spam. Além de perder visibilidade, seu perfil pode ser penalizado.

2. Utilizar horários errados

O grande apelo do messaging marketing está em impactar as pessoas certas no momento adequado. Portanto, para aproveitar os benefícios desse meio, acerte nos horários em que se comunica com sua audiência.

Não existe resposta certa em relação a isso; você vai precisar estudar os hábitos dos seus clientes para determinar os momentos em que poderão ter contato com seu conteúdo. Na dúvida, faça experimentos até chegar nos resultados certos.

3. Não ter um CTA eficiente

Cada mensagem enviada durante sua campanha precisa ter um propósito, um caminho que você deseja que o destinatário siga após recebê-la. O seu call-to-action (CTA) deve apontar para o próximo passo em direção à conversão, e não faz sentido trabalhar sem esse recurso.

Experimente múltiplas abordagens, respeitando sempre o que sabe a respeito do perfil do seu público-alvo. Além disso, deixe claro o valor da sua oferta ao escrever o texto dos seus CTAs.

4. Errar na linguagem usada

Tudo o que você conseguiu aprender sobre o seu público-alvo será decisivo para ajudar a definir a linguagem utilizada ao se comunicar com ele. O messaging marketing gira em torno de mensagens diretas, então fale da maneira que essas pessoas estão esperando. Defina o tom de voz da sua marca de forma que seja coerente com a identidade dela e ajuste a sua abordagem até acertar.

5. Não aprender com os resultados

Como nas demais partes da sua estratégia, o modo como você atua com messaging marketing precisa ser continuamente melhorado a partir dos resultados obtidos. Crie o hábito de mensurar o engajamento obtido com suas mensagens e os retornos conquistados pelos seus CTAs. Detecte tendências que possam servir de direcionamento para as suas iniciativas futuras e aprimore cada vez mais a sua atuação.

Tendo em mente cada um desses erros de messaging marketing, basta tomar cuidado para não cometê-los ao executar suas estratégias. As pessoas raramente dão uma segunda chance quando uma marca desrespeita seu espaço, e sua empresa pode perder um poderoso canal de comunicação se ocorrer alguma das falhas acima. Acompanhe de perto a execução da sua estratégia e mantenha-se sempre em melhoria.

Que tal aprender mais sobre call-to-action? Veja aqui no blog como criar um CTA que converte e gere resultados!

Gutemberg Fernandes

CEO Founder da Conexão Marketing, 12 Anos de experiência em Estratégias Digitais, co-autor do método Growth CNX, apaixonado por métricas e geração de resultados. Líder do time de prospecção inbound.

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta