Estreando o canal Conexão em 1 minuto, vamos falar nessa semana de público-alvo: O principal pilar de qualquer estratégia de Marketing Digital. Afinal, se você não conseguir identificá-lo e nem saber o que ele quer, suas chances de acerto serão QUASE ZERO!

Para o primeiro dia da semana do público alvo, vamos falar sobre mapa da empatia.

Mas afinal o que é empatia, ou, o que é mapa da empatia?

Empatia é colocar-se no lugar do outro. É sentir o que sentiria caso estivesse na situação e nas circunstâncias experimentadas por outra pessoa. O Mapa de Empatia foi inicialmente concebido por Scott Matthews, então sócio da empresa de pensamento visual Xplane.

A ferramenta nasceu para colocar a perspectiva do cliente no desenvolvimento de novas soluções e experiências de consumo. Inicialmente usada como apoio em discussões rápidas, a ferramenta evoluiu para pesquisas mais profundas e detalhadas a respeito do que o cliente diz, faz, vê, pensa, sente e ouve a respeito do produto e também sobre quais são suas dores e dificuldades ao consumi-lo e o que poderia ser feito para superar suas expectativas por meio de ganhos adicionais.

E para que serve o mapa da empatia?

INDICADO PARA: empreendedores e profissionais responsáveis pelo desenvolvimento de novos produtos (ou serviços).

SERVE PARA: definir rapidamente o perfil de um cliente ou usuário (público-alvo) e suas necessidades, seus desejos e as aspirações a respeito de um determinado produto.

É ÚTIL PORQUE: é um mapa visual que orienta a discussão e o brainstorming sobre a criação de novos produtos a partir da perspectiva do cliente.

Como posso usar o mapa da empatia em meu negócio?

Como usar: Uma das primeiras coisas a fazer é você definir que informações pretende levantar. Use as perguntas para o público-alvo e monte sua própria planilha de perguntas. O que você quer saber de seu público? Idade, sexo? Sonhos, projetos, desejos? Quer saber quanto ele ganha? Quer saber qual o valor máximo que ele pagaria por um produto? Quer saber mais sobre os hobbies deles?

Separamos aqui uma lista de perguntas que podem te ajudar neste primeiro momento:

  • Qual é o maior medo ou pesadelo? Seja o mais específico possível.
  • Por que se preocupar com este medo? O que ele vai causar?
  • O que mais poderia dar errado se isso acontecer?
  • Qual é a solução desejada? A fantasia que o cliente tem na cabeça?
  • Por que ele quer que isso aconteça?
  • Que outras coisas aconteceriam se isso acontecesse?
  • Qual seria o cenário “pesadelo”? Qual situação o público-alvo ficaria aterrorizado, que ele faria qualquer coisa, até mesmo irracional, para evitar? Descreva nas palavras do público-alvo, com riqueza de detalhes.
  • Qual é o cenário do “milagre”? Que fantasia faria com que o público-alvo fizesse tudo para conseguir? Descreva com detalhes nas palavras do público-alvo.

Toda coleta de informação deve girar em torno da relação do cliente com o consumo do produto e o tópico do Mapa de Empatia. O consumo do produto pode começar bem antes da compra em si e, da mesma forma, pode terminar bem depois do seu uso.

Mesmo que o seu produto seja “inovador” e “inédito”, sempre há soluções atuais que sejam substitutas, mesmo que parcialmente.

Tomando como base a figura abaixo, siga as orientações para cada tópico

mapa da empatia_público-alvo
mapa da empatia_público-alvo

• O que o cliente diz e faz (ao consumir o produto atualmente)?

Em outras palavras, quais são os aspectos sociais que podem ser observados no processo do consumo do produto, desde o início da tomada da decisão da compra até seu descarte ou lembrança (memória) de uso?

• O que o cliente vê (ao consumir o produto)?

Ou seja, quais são as influências visuais a que ele(a) está sujeito?

• O que o cliente pensa e sente (ao consumir o produto)?

O que ele(a) pensa e sente, mas também o que ele(a) acha que sente ou pensa dele quando consome o produto?

• O que o cliente ouve (ao consumir o produto)?

Neste caso, não é apenas ouvir, mas quem o cliente escuta ao consumir o produto? Como é influenciado por outras pessoas?

• Quais são as dores (que o cliente tem ao consumir o produto)?

Quais são suas dúvidas, medos, receios, dificuldades, barreiras, obstáculos que precisa lidar ao consumir o produto?

• Como o cliente pode ter ganhos adicionais?

Ou o que mais seria importante pensar para que o cliente fosse surpreendido ao consumir o produto? Depois de coletar o máximo de informações e percepções na reunião, é importante ir a campo para validar o que foi discutido com clientes ou potenciais clientes que fazem parte do mercado-alvo.

Com base nesse trabalho validado já é possível iniciar o processo de geração de ideias de como você poderá atrair esse publico para o seu conteúdo. Mas isso é assunto pra amanhã!

Gostou do post? Deixe seus comentários, mande suas perguntas. Participe! É muito importante pra nós.

BAIXE AQUI o seu próprio mapa da empatia e entenda melhor o seu público-alvo!


Gutemberg Fernandes
Gutemberg Fernandes

CEO Founder da Conexão Marketing, 12 Anos de experiência em Estratégias Digitais, co-autor do método Growth CNX, apaixonado por métricas e geração de resultados. Líder do time de prospecção inbound.

Conexão Agência Digital

    4 Comentários para "[Conexão em 1 minuto] – Público-alvo – Mapa da empatia: Uma introdução"

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado